É desse jeito que eu me sinto com a Elisa. O papai dá muito mais bronca, tem bem menos paciência, mas sem dúvida nenhuma é o titular, o favorito a qualquer momento. E a safada já aprendeu a inventar cada desculpa, que tirando o meu ciúmes, chega a ser engraçado… Hora de dormir, por exemplo: desde a hora de fazer o xixi, escovar os dentes e vestir o pijama ela já começa a pedir por ele. Eu ignoro, levo na esportiva, invento uma desculpa ou faço uma piada, do tipo: não importa se eu ou o papai estamos aqui, o xixi vai para o o vaso e pronto, não é mesmo?!

Mas não adianta, chegando na cama, o veredicto é sempre o mesmo: “mamãe, hoje é dia do papai!” De tanto insistir que é um dia de cada, etc e tal, ela inventou uma terceira opção: “mamãe, hoje não é dia seu nem do papai, é o meu dia!” “Como assim, Elisa?!” “É que nem você nem o papai vão dormir comigo, sou eu que vou dormir na cama de vocês!”

Hoje à tarde eles tiraram uma soneca juntinhos no chão da sala. Eu fiquei com inveja em silêncio. Agora tentei argumentar: “Ah Elisa, agora é a minha vez, porque hoje à tarde você já dormiu com o papai”. “Não, mamãe, foi só um descansinho… Hoje é dia dele…” 

Ah, Elisa, e o meu dia, quando é que vai chegar???

Todo mundo diz que menina é assim mesmo, grudada com o pai… Mas explicar porque é assim, isso nunca ninguém me explicou… 😦 

 

 

Anúncios