Aqui, sozinha neste quarto de hotel, não pude deixar de me emocionar ao ler o texto abaixo, enviado por minha amiga Jéssica, mãe da querida Helena.

Que dureza ficar longe da minha pequena…!

Vim na segunda-feira para a capital, participar de um curso obrigatório do trabalho. É a primeira vez que nos separamos, eu e a Elisa. Não durou muito. Na segunda à noite, parece que o coração de mãe teve um pressentimento, e o sono demorou a vencer a preocupação de estar longe. Pois ontem ela amanheceu com febre e diarréia. Não agüentei; à noite corri de volta para casa, a uma distância de aproximadamente 140 Km, e depois de duas horas consegui chegar e ainda pegar a pequena acordada.

Ontem foi um dia difícil para todos nós. Ela ficou bem ruim, papai e vovó correram com ela para o médico, e o diagnóstico foi “virose”… Pouco específico, e por isso difícil de ser interpretado por uma mãe inexperiente. Hoje cedo o curso já continuava, então tive que madrugar e terminar o bate-volta imprevisto.

Meu coração está espremidinho e ligo pra lá o tempo todo, mas agora que ela já está medicada, vou passar a noite por aqui mesmo, e amanhã volto correndo para casa ao final do dia. Ela hoje passou o dia melhor, mas perto das 18h00 a febre voltou, agora mais leve. A diarréia continua, coitada, mas segundo pediatra é normal, ainda vão alguns dias para ela ficar boa.

Como é difícil ver nossa filhota doente! E não ver, então, só ficar imaginando? É pior ainda, de longe!

Espero que seja algo bem simples mesmo, e sem qualquer complicação a Elisa logo fique boa de novo…

Andando

Anúncios